CELEBRAÇÕES NA MATRIZ:
SEXTA E SÁBADO: 19H
DOMINGO: 07h - 10h - 19h
previous arrow
next arrow
Slider

Mensagem de Páscoa por Dom José Aristeu

“Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos”.

 
Entoando, jubilosamente, este refrão, rendemos graças, neste solene Domingo da Páscoa, pela gloriosa Ressurreição do Senhor!

Eis que três dias já eram passados, e quando ainda se buscava um “morto” desaparecido do túmulo, pouco a pouco, a começar pelas mulheres, foi se irrompendo o jubiloso canto de vitória: “Aleluia, o Senhor ressuscitou!… Maravilha que a mão direita do Senhor realizou… a pedra que os construtores rejeitaram se tornou, agora, a pedra principal!… Pelo Senhor é que foi feito tudo isso, que maravilha! Ele fez a nossos olhos”.

Este grito de vitória quebrou o silêncio de dor e humilhação da comunidade dos discípulos e discípulas do Divino Mestre de Nazaré. É Verdade que Ele despertará uma explosiva e esperançosa alegria em todo o povo, quando anunciará e sinalizara com obras, a chegada do Reino de Deus.

No entanto, aquela trágica sexta-feira de Jerusalém havia sepultado todas as esperanças, reinando apenas e somente, o silêncio de Deus como resposta àquele horrendo e violento espetáculo de morte e terror.

Quanto maior a tristeza, tanto maior a alegria! Impossível imaginar o tamanho da alegria daquela comunidade primeira! Como estamos bastante distantes no tempo dos acontecimentos, nem sequer conseguimos avaliar a vibrante alegria deles, a começar da Mãe dolorosa de Nazaré, a mais atingida tanto pela desolação do violento assassinato do seu amado Filho, como pela alegria de sua Ressurreição!

Mas esta mesma alegria de Maria e da Igreja nascente, é a nossa hoje! Pois celebrar a Páscoa, não é honrar a memória de um morto, mas é celebrar na fé, com intenso júbilo, a presença atuante e transformadora do Cristo Ressuscitado no nosso meio!

Há uma diferença astronômica entre homenagear um morto e viver na mística de páscoa da Ressurreição, em busca de um encontro pessoal com o Senhor, Vivo e Presente no meio de nós, que se comunica conosco por seu Espírito Santo, que nos habita pela graça de sua ressurreição, e nos comunica numerosas graças e bençãos do céu. Homenagear Cristo morto, nem precisa de fé, basta saber de sua existência e suas obras, mas entrar em comunhão com Ele e com os méritos de sua Morte e Ressurreição, supõe fé, e fé é graça, e graça se acolhe e se cultiva com amor e gratidão!

A experiência da alegria do Evangelho, como dinamismo missionário e transformador do discípulo e da comunidade eclesial, proposta pelo Papa Francisco a nós Igreja, passa por ai! Trata-se de vivenciarmos e partilharmos a alegria da boa notícia do Ressuscitado! Se nossa fé não nos inserir numa verdadeira experiência de comunhão com o Senhor, e a consciência do que Ele tem sido, é, e será para nós na relação com Deus, nossa vivência cristã não passará de umas práticas pouco convictas, que nada transformam nossas vidas. A conferência de Aparecida, avaliando a evasão católica, intuía que nossa evangelização tem sido tremendamente falha, por isso muitos nos deixam e vão buscar Deus noutros endereços. Falamos de Deus, falamos de Cristo, damos doutrina, mas não somos capazes de iniciar as pessoas na experiência de Deus.

Por providência divina que nosso Papa Francisco, que foi atuante naquela conferência citada, resgatou suas intuições. E damos graças a Deus por nossa abençoada e dinâmica CNBB, que acolhendo e desenvolvendo as intuições de Aparecida, nos orienta no seu documento 107, iniciação à vida cristã, que deverá guiar, não somente a nossa catequese, mas toda nossa ação pastoral e evangelizadora, na dinâmica da iniciação cristã que é simplesmente a mística pascal!

Então reflita e, se possível, partilhe em grupo: Como fazer para tornar mais viva e ativa nossa experiência da fé na presença do Ressuscitado? De que modo alimentar nossa relação de comunhão e amizade com o Senhor que é a fonte de nosso elán e compromisso missionário? Como tornar nossa experiência de fé uma verdadeira MÍSTICA PASCAL?

Aleluia, Alegria, pois é Pascoa! Cristo vive e está entre nós! Somente Ele pode nos dar a alegria e a paz.

Que a paz do Ressuscitado plenifique nossas vidas com a alegria do Evangelho, e nos transforme em ousados missionários da vida, da esperança, da justiça e da paz, neste mundo ferido de violência e carente de ressurreição.

E A VOCÊ, QUE PARTILHA CONOSCO NESTE ANO 2018, A ALEGRIA FESTIVA DO CENTENÁRIO DE NOSSA QUERIDA DIOCESE DE LUZ, NOSSOS VOTOS DE ABENÇOADA FELIZ E SANTA PÁSCOA!

 

Dom José Aristeu Vieira
Bispo Diocesano de Luz-MG

Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Rua Cel. Aurelino,8 - Formiga-MG 37 3321-2955