CELEBRAÇÕES AOS DOMINGOS:
07h - 10h - 17h e 20h
previous arrow
next arrow
Slider

As Intenções de Missa

E comum no cotidiano paroquial pessoas procurarem a secretaria para marcar intenções de missas pelos falecidos, casamentos, aniversários, pedindo saúde, em ação de graças ou por alguma situação vivida. Alguns querem que a missa seja exclusivamente naquela intenção; outros aceitam a missa com intenções comunitárias. Esse costume vem desde os primórdios da Igreja, inclusive o ato de contribuir com oferendas e depois com dinheiro para a manutenção das obras eclesiais. Esse hábito foi se solidificando ao longo dos séculos e essa prática continua nos dias atuais, mas nem sempre os fiéis estão esclarecidos sobre o real valor das intenções de missa. É bom ter sempre presente que as intenções não se compram e não se vendem. A contribuição é uma oferta generosa para a Comunidade. Primeiramente, a palavra missa significa despedida, é o verdadeiro e único culto de ação de graças que faz memória do sacrifício de Cristo pela salvação do mundo; é o sacrifício eucarístico, fonte e ápice de toda a vida da Igreja. Começa aqui nossa catequese: sendo a missa o evento que atualiza a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, é celebrada por todos e acolhe todas as intenções colocadas. Nós oferecemos, na sagrada Liturgia, as intenções que trazemos no coração e lembramos nomes e fatos pelos quais queremos rezar, porém, sem substituir o real sentido da celebração. A missa por excelência é a única intenção, tanto para os vivos quanto para os falecidos. É a grande comunhão universal onde os pedidos da comunidade são reunidos e levados ao altar do Senhor. A própria palavra Eucaristia significa ação de graças, agradecimento. Por exemplo, quando rezamos por uma pessoa falecida, nós estamos agradecendo pela vida dela, pelo que realizou e pedindo sua intercessão, uma vez que ela está na glória eterna em comunhão com os santos e a Trindade. Rezar pelos mortos é importante e nos aproxima de quem amamos. Mas, devemos saber que a missa não é rezada só por aquele fiel, ele é lembrado, ele não é o centro do mistério que celebramos, e sim, Cristo. Muitos não entendem essa verdade e acabam por substituir Deus pelas intenções. O centro de nossa fé é Cristo Ressuscitado, tudo gira em torno dele. Portanto, as intenções só têm sentido quando Cristo ilumina nossa ação.

Missa de sétimo dia

O número sete na Bíblia indica perfeição. A missa de sétimo dia lembra a criação do mundo em seis dias, sendo que no sétimo, Deus descansou. Celebramos, portanto o descanso eterno de quem nos deixou. A missa faz memória do que aquela pessoa significou para nós, de tudo o que ela gerou em vida, da herança que nos deixou. No sétimo dia, a família se reúne para se despedir definitivamente de seu ente querido e entregá-lo totalmente a Deus. Sendo assim, a comunidade faz memória, na celebração, daquela pessoa que nos deixou. Adélia Prado, em um de seus poemas, afirma: “o que a memória amou, fica eterno” e alguém escreveu que “a saudade é o amor que fica’: Portanto, no sétimo dia celebramos o amor que é o sacramento de nossa fé.

Trigésimo dia da morte

O trigésimo dia é uma referência ao mês de luto que Israel guardou pela morte de Moisés. Desde a morte de alguém entramos em luto, que significa estabelecer um novo vínculo com quem se foi, uma nova identidade. É também um tempo de fé e esperança, de reflexões e busca de sentido para a morte. Quando Moisés morreu o povo sentiu e chorou sua ausência, silenciou e buscou em Deus a consolação para seu sofrimento. É também o que fazemos. E como celebramos nosso aniversário natalício anualmente, assim o dia da morte é lembrado como um novo nascimento para a vida plena junto de Deus. É por isso, que celebramos um ano de falecimento. E depois destas datas podemos continuar rezando pelos falecidos? É evidente que sim, mas cada um deve observar em sua comunidade paroquial como é feita a prática das intenções. O Pai que está nos céus ouve o que está no coração, esta é a oração mais agradável que podemos oferecer. Na Igreja Sagrado Coração de Jesus, as missas são comunitárias, com várias intenções marcadas. Estes nomes são lidos antes do início da missa. A marcação é realizada com antecedência na secretaria da Paróquia

Intenções também pelos vivos!

Até aqui falamos sobre a oração pelos mortos, mas devemos rezar também pelos vivos, em suas diversas circunstâncias. Afinal, precisamos da Graça de Deus diante dos inúmeros desafios que enfrentamos na vida. Na verdade, a missa é a oração mais plena e cheia de beleza, mais democrática e perfeita, onde todos os pedidos de oração são incluídos. Rezar é uma arma poderosa contra as dificuldades e uma força transformadora que nos aproxima de Deus, do próximo e de nós mesmos. Com essa reflexão fica mais fácil entender que as intenções de missa devem, antes de tudo, estar em nosso coração. Devem também ser celebradas com amor e fé e não por superstição ou magia. Afinal, Deus acolhe as orações em todas as circunstâncias e abençoa seu povo com generosidade. Ao participar da Missa lembre-se que a oferta de Cristo pela redenção do mundo é o centro do mistério

Pe. Nilton César Boni

Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Rua Cel. Aurelino,8 - Formiga-MG 37 3321-2955